Histórico de Realização dos Eventos

O I Seminário Internacional de Direitos Humanos (SIDH) foi realizado em 2001, com a parceria e intercâmbio entre professores/pesquisadores da Universidade Católica Dom Bosco e da Universidade de Salamanca/Espanha. Os laços foram se ampliando por meio da realização de eventos nos dois países e com a inclusão de outras instituições internacionais (Complutense de Madrid/Espanha, University of Washignton/EUA, Universidad de Rozário/Argentina) e instituições brasileiras (UFMS, UEMS, UFGD, UFPB, UFPE, UMESP, UNIMEP, UNICENTRO, entre outras).

 

A partir destes intercâmbios, foi criado o FIIDH – Fórum Internacional e Interinstitucional de Direitos Humanos, ao qual este Seminário esteve filiado ao longo de suas edições seguintes. Dessa forma, este evento conta com a participação de distintos professores pesquisadores de universidades nacionais e internacionais, além de instituições ligadas à educação e aos Direitos Humanos, tais como:

  • IDHMS – Instituto de Direitos Humanos do Mato Grosso do Sul;

  • SED/SEMED – Secretaria de Estado de Educação/Secretaria Municipal de Educação

  • FESCG – Faculdade Estácio de Sá de Campo Grande

  • FUNDECT – Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul;

  • MCDB – Museu das Culturas Dom Bosco (vinculado a UCDB);

  • FTD-ETP – Fórum do Trabalho Descente e Estudo sobre Tráfico de Pessoas;

  • MPT – Ministério Público do Trabalho

  • CEDH – Conselho Estadual de Direitos Humanos de MS

  • OAB/MS – Ordem dos Advogados do Brasil/Mato Grosso do Sul.

  • FACSUL – Faculdade Mato Grosso do Sul

  • CETRAP – Comitê de Enfrentamento do Tráfico de Pessoas

  • CNPQ – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

 

Da primeira à nona edição, o evento se constituiu como Seminário Internacional e Interinstitucional de Direitos Humanos com os seguintes temas:

  • I SIDH: Direitos Humanos na América Latina e Europa: perspectiva comparada (UCDB, 2002);

  • II SIDH: Direitos Humanos sob a visão da cultura da diferença (UCDB, 2003)

  • III SIDH: Direitos Humanos e Diferenças Culturais na Europa e América Latina: perspectivas comparadas (UCDB, 2004);

  • IV SIDH: Direitos Humanos e as Diferenças Culturais na Europa e América Latina: perspectivas comparadas (UCDB, 2005);

  • V SIDH: Questões Atuais dos Direitos Humanos no Contexto da Globalização (UCDB, 2007);

  • VI SIDH: Jornadas Virtuais Iberoamericanas de Direitos Humanos (UCDB, 2008);

  • VII SIDH: II Jornadas Virtuais Iberoamericanas de Direitos Humanos (UFMS, 2009);

  • VIII SIDH: Diversidade Sóciocultural, Multiplicidade e Educação em Direitos Humanos (UCDB, 2011);

  • IX SIDH: Diversidade Sociocultural e Educação em Direitos Humanos (UCDB, 2012);

 

A partir de 2013, o evento foi convertido em Congresso, já na sua décima edição, quando passou a ser coordenados pela UCDB e UFMS, cuja realização é realizada de forma intercalada, anualmente. Essa transição fortaleceu o desenvolvimento de pesquisas científicas, em especial relacionadas a grupos de pesquisas e consolidou o caráter científico do evento, envolvendo alunos, pesquisadores e professores do Brasil e do Exterior em uma rede de colaboração e diálogo.

 

O X Congresso Internacional de Direitos Humanos (X CIDH), teve como tema “Direitos Humanos, Inclusão e Diversidade Sociocultural: crises e desafios do século XXI”, dando continuidade aos trabalhos desenvolvidos nos anos anteriores, que trataram sempre de temas relacionados aos fundamentos filosóficos, históricos e jurídicos, bem como a prática dos Direitos Humanos no Brasil e em outros países. Esse encontro demonstrou ser um espaço privilegiado de interlocução sobre a dimensão cultural (diversidade) relacionada aos fundamentos e prática dos Direitos Humanos, assim como sempre privilegiou o diálogo entre acadêmicos e pesquisadores nacionais com outros educadores de diferentes níveis e países (Espanha, EUA, Argentina, Alemanha), sobre as práticas dos Direitos Humanos em contextos interculturais, enfatizando a autonomia e a educação em Direitos Humanos.

 

O XI CIDH, em 2014, desenvolveu o tema “Migração e Tráfico de Pessoas nas Fronteiras”, aprofundando os estudos desenvolvidos nas edições anteriores e atribuindo uma nova dimensão a temática, teorizando sobre uma temática tão iminente na contemporaneidade.

 

O XII CIDH, em 2015, propôs o tema “Fronteiras dos Direitos Humanos: Direitos Humanos nas Fronteiras”, dando prosseguimento a uma série de encontros que vem tratando de temas relacionados as fronteiras políticas, culturais, sociais e geográficas, sem perder de vista a discussão central do evento, sobre as práticas dos Direitos Humanos e a Educação em Direitos Humanos.

 

A XIII edição do Congresso Internacional de Direitos Humanos, em 2016, teve como tema “Migração e Direitos Humanos nas Fronteiras”, enfocando o conceito de Migração e Fronteiras, entendido aqui não em oposição a outros contextos globais, e sim como forma de particularidade e de complemento, de trânsito e intercâmbios. Mato Grosso do Sul possui situação especial com relação a esta temática das fronteiras e tráfico de pessoas. Como as outras regiões do Brasil e de outros países apresentam situações semelhantes, esse cenário propiciou o debate entre estas várias realidades e incentivou a reflexão acadêmica a partir das práticas e estudos dos Direitos Humanos nas fronteiras.

 

O XIV Congresso Internacional de Direitos Humanos, em 2017, teve como tema “Trabalho, Direitos Humanos e suas Fronteiras. Já consolidado como um relevante espaço de intercâmbio entre pesquisadores e estudantes, não só do Estado de Mato Grosso do Sul, mas de diferentes Instituições de Educação Superior do Brasil e de fora do país, o CIDH vem estreitando o diálogo entre o aprendizado acadêmico e outras formas de conhecimento. Nesse ano, pudemos destacar a realidade regional das situações de fronteira para os imigrantes internacionais, no contexto da aprovação de um novo marco jurídico para imigrantes estrangeiros no Brasil, como sua principal temática e as condições de sobrevivência desses sujeitos, principalmente quanto ao trabalho.

 

O XV Congresso Internacional de Direitos Humanos, realizado em 2018, deu continuidade aos trabalhos desenvolvidos nos anos anteriores, que sempre abordaram temas relacionados aos fundamentos filosóficos, históricos e jurídicos dos Direitos Humanos, bemcomo da prática dos Direitos Humanos no Brasil e em outros países. Mais uma vez, estabeleceu-se como espaço privilegiado de interlocução sobre a dimensão cultural (diversidade) relacionada aos fundamentos e prática dos Direitos Humanos, assim como privilegiar o diálogo entre acadêmicos, professores e profissionais nacionais com outros pesquisadores de diferentes níveis e países, sobre as práticas dos Direitos Humanos em contextos interculturais.

A última edição do Congresso, o XVI Congresso Internacional de Direitos Humanos, aconteceu entre os dias 04 a 06 de setembro de 2019, nas dependências da Universidade Católica Dom Bosco, em Campo Grande, com o tema "Perspectivas de Direitos Humanos, Políticas Públicas e Inovação". O objetivo buscado com este tema específico foi o de fomentar e contribuir com o avanço da produção e disseminação do conhecimento em Direitos Humanos, com foco nas diversas perspectivas de Direitos Humanos, Políticas Públicas e Inovação, acolhendo novas abordagens científicas em variadas dimensões, que permitam partilhar construção teórica e práticas inovativas.

Com isso, observa-se que o CIDH tem se firmado como um importante e consolidado evento em Mato Grosso do Sul, reunindo diversos pesquisadores nacionais e internacionais em torno de um tema tão essencial. Esperamos que as próximas edições sigam profícuas e tragam como resultado um ambiente cada vez mais acolhedor, agregador e frutífero na busca pelas reflexões e devida observância dos Direitos Humanos.